segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Indo pra casa do papai


Esse é o primeiro post sugerido por uma leitora do Blog, a mãe da minha enteada. :-)
Achei bem legal essa sugestão, pois já passamos por várias idas e vindas desde que a Isa era pequena.
No nosso caso, como a Isa leva e traz as coisas dela, constantemente temos que fazer um “bate-bola” sobre o que está onde. Uma coisa boa na relação que construímos é que as malas da Isa sempre são feitas com o seu bem estar em mente, com os brinquedos que ela quer brincar, as roupas que ela quer usar, tudo no esqueminha dela, e todos nós respeitamos isso. Às vezes um esquece de mandar uma coisa aqui, outra acolá, mas isso faz parte, não é um problema e não acontece sempre.  
Acho que o momento de ir para a casa do pai muitas vezes pode ser chato, a criança pode ficar dividida entre o que vai deixar de fazer com a mãe e o que a casa do pai vai proporcionar. Acredito que quanto mais respeitosa para a criança for essa transição, melhor, seja com a periodicidade que for. Deixar eles levarem o brinquedo novo, o pijama preferido, o DVD do desenho que mais gosta de assistir, isso ajuda eles a se sentirem mais seguros.
Eu entendo que muitas vezes esse momento é bem difícil para as mães, que muitas vezes ficam inseguras ou com ciúmes e por conta disso dão uma pisadinha na bola com os pequenos.
Já escutei cada aburso de amigas e de conhecidas que pelo amor de Deus, coisas como trocar a roupa das crianças e mandar camisetas sujas só para provocar o pai, mandar todos os brinquedos miudinhos só pra eles espalharem pela casa dar trabalho para guardar (e nem era o brinquedo que a criança gostava), mandar a criança voltar com a roupa que usou lavada, e por ai vai...
Numa boa, esse tipo de atitude pode sim irritar ex-maridos e madrastas, mas em primeiro lugar é um desrespeito com a criança, antes de atingir qualquer pessoa a criança será a primeira prejudicada.
Esse post de hoje é para refletir sobre como será para eles esse momento, sobre muitas vezes ter que segurar a nossa onda para que as relações possam crescer com maturidade, e sobre incentivar a uma convivência saudades onde quer que os pequenos estejam.
Beijo grande, boa semana e até semana que vem.
Postar um comentário