segunda-feira, 31 de março de 2014

Insegurança.


Acredito que toda mulher quando se torna madrasta se sente insegura num primeiro momento, principalmente pela primeira vez.
Eu me senti bastante insegura no começo da minha relação com meu marido, principalmente quando éramos namorados. Isso porque começamos a namorar pouco tempo depois da sua separação. No meu caso eu já entrei num momento muito confuso da vida dele, da ex e da minha enteada (que era muito novinha).
O tempo passou e eu acho que alguns fatores ajudaram a diminuir essa insegurança. O fato do meu parceiro me ajudar a “abrir caminho” junto a minha enteada facilitando e incentivando uma convivência tranqüila e amorosa, criar meu espaço junto a família dele,  definir limites com relação a ex-mulher e reforçar o espaço que conquistei junto a amigos e familiares.
Outra situação que no começo me deixava super insegura eram os eventos sociais/familiares. Eu não sabia direito como me comportar. As primeiras festas de amiguinhos da escola da minha enteada também foram tensos pra mim, eu não sabia se as mães dos amiguinhos teriam algum tipo de preconceito. Com o tempo fui conhecendo as pessoas e essa insegurança passou e graças a Deus eu nunca sofri nenhum constrangimento nesse sentido!
No começo pesou também pensar como seria a minha convivência com a mãe da minha enteada, afinal quando conhecemos um homem que tem filhos de relacionamentos anteriores e nos apaixonamos por ele não temos a menor idéia do que esta por vir pela frente, principalmente com relação a ex-mulher, se ela ainda é apaixonada, se eles acabaram decentemente o relacionamento, se ela é autoritária... Várias coisas influenciam em como será essa relação e na maioria das vezes no inicio desconhecemos parte dela.  Para minha felicidade eu a mãe da minha enteada escolhemos a boa convivência, respeito e cooperação.
Confesso que depois que casei essas inseguranças diminuíram ao ponto de quase não existirem mais.
Acredito que a cada fase da vida do nosso relacionamento novas inseguranças podem aparecer, por isso o apoio do nosso parceiro é fundamental para passarmos por esse período inicial e todos os outros que virão. Acreditando, apoiando, incentivando e construindo juntos!
É isso aí.
Beijo e até semana que vem!
Postar um comentário