domingo, 3 de agosto de 2014

Ciúmes de mãe.



A relação dos filhos com as madrastas pode, em alguns casos, gerar algum tipo de ciúmes por parte das mães, principalmente quando existe uma boa relação entre os enteados e as novas companheiras dos pais. Porém esse é um sentimento muito natural.
O que vai mostrar para você, madrasta, o quanto esse sentimento vai interferir na sua relação com a criança é a forma como essa mãe lidar com esse sentimento.
Depois de uma separação, independente do que a motivou, os sentimentos ficam muito confusos, e é natural que algumas mães tenham dificuldades em administrar os sentimentos gerados por um relacionamento que não deu certo e, como conseqüência, transferirem, de forma consciente ou inconsciente, essa frustração para a vida dos seus filhos, levando-os a acreditar que essa nova relação atrapalhou a vida da família. Muitas mulheres passam ano após ano nutrindo esses sentimentos de ciúmes e mágoa sem conseguirem se libertar.
É muito fácil nesse tipo de situação termos uma mãe que, sem conseguir lidar com seu próprio sentimento, venha a fazer alienação parental com seus filhos. Por isso, em minha opinião, é fundamental que a terapia, inclusive para os filhos, faça parte desse novo momento para que se coloque os sentimentos em seus devidos lugares, compreender o papel de cada um dentro da família e aceitar o processo de separação. Afinal, conseguir lidar com esse turbilhão sentimental sozinhos é realmente difícil.
Outro dia uma amiga me falou que adoraria ter uma relação como as que eu incentivo aqui no blog com sua madrasta (casada com seu pai há 20 anos), mas sua mãe não aceitava de forma alguma que, ela e a irmã, fossem afetivas ou tivessem algum tipo de intimidade com a companheira do seu pai. Para não desapontar a mãe elas escolheram ter uma relação cordial e não afetiva com a madrasta e assim é por quase duas décadas. A mãe delas teve poucos namorados, depois de separada, e nunca voltou a se casar. Em minha opinião essa mãe nunca conseguiu se livrar das magoas e da dor da separação e transferiu para as filhas todos esses bloqueios sentimentais.
Quando estamos diante de uma mãe que se posiciona dessa forma, a melhor atitude que, nós madrastas, podemos tomar é respeitar, não se sentir ofendida ou levar para o lado pessoal, não pressionar as crianças para que não aja nenhum conflito entre elas e a mãe e principalmente não interferir na relação entre as crianças e os pais. Se as condições da mãe do seu enteado for essas, mantenha a calma e a paciência, o confronto é um desgaste completamente desnecessário que pode e deve ser evitado.
Graças a Deus no meu caso esses sentimentos nunca interferiram na minha relação com a minha enteada, muito pelo contrario a mãe dela sempre apoiou nosso bom relacionamento. É muito bom poder viver e construir uma relação saudável em que se esse sentimento tivesse prevalecido não teriam aconteceriam.
Um beijo e até semana que vem.
Boadrasta nas redes sociais
Instagram - @boadrastacom
Postar um comentário