segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Dia dos pais – uma reflexão.


Pai é um assunto sempre delicado. Eu quis escrever esse post ontem, mas quando eu comecei percebi que precisaria de um pouco mais de tempo para saber o que e como escrever.
Só existe boadrasta se existir um pai, principalmente um pai interessado em exercer essa paternidade... e os pais são tão importantes para nos ajudar a sermos boadrastas!
Por isso eu não quis escrever um post blasé sobre o dia dos pais. Achei que eles mereciam uma atenção mais especial nesse dia.
Infelizmente nem todas as crianças tem um pai legal para se orgulhar. Muitos pais se afastam do seus filhos durante o processo de separação e muitos escolhem nem conviver mais com essas crianças. Acho essa atitude muito egoísta e inconseqüente, pois todos os pais se tornaram responsáveis afetivamente por seus filhos, e eles sempre terão expectativas com relação a reciprocidade do afeto de seus pais. Quando isso não acontece temos crianças machucadas, com seqüelas emocionais que vão acompanhá-las por toda a vida. Hoje em dia existe caso de juízes que deram ganho da causa para pessoas que processaram seus pais por abandono afetivo. (vide links relacionados)
Eu não tenho mais pai. Ele morreu há 25 anos, quando eu tinha 17 anos. Pensando nele, sem demagogia, ele era muito afetivo, amoroso e intensamente presente, mas também era autoritário, ciumento e controlador. Fato é que mesmo sendo difícil em alguns momentos, no geral ele era um paizão. Grande sorte a minha crescer com ele perto e presente. Muito do que sou hoje vem das lições que aprendi com ele, principalmente o amor, a generosidade, a ética, a  retidão de caráter... Ter pai bacana e por perto é bom demais.
Caro leitor, se você puder e quiser ser um pai legal e fazer a diferença no futuro do seu filho, dê o seu melhor e seja o melhor pai que seu filho possa ter, isso é a coisa mais legal que você pode fazer por ele.
Sras. Boasdrastas, se seu parceiro está vivendo um processo de alienação parental e está sendo privado do contato com seus filhos, sejam parceiras, ajude ele a tomar decisão com calma e cautela, seja generosa quando ele e seu filho puderem se encontrar e facilite para esse tempo ser bom e proveitoso.
Desejo mesmo que tardiamente, a todos os leitores que são pais e aos companheiros de nossas leitoras, que vocês possam ser PAI na plenitude dessa palavra. Desejo que vocês possam se esforçar para serem presentes no dia a dia de seus filhos, que possam ser a autoridade e o amigo, o confidente , o experiente, o sorridente, o olho no olho, o abraço apertado e o porto seguros de seus filhos.
Toda criança tem o direito de conviver com seu pai.
É isso . Beijão e boa semana a todos!
OBS: O post dessa semana não terá vídeo por motivos técnicos 
Links relacionados: 
 
Boadrasta nas redes sociais
Instagram - @boadrastacom
Twitter - @blogboadrasta
Postar um comentário