sexta-feira, 6 de março de 2015

Acidentes domésticos.

Esses dias meu marido chegou em casa com uma revista sobre natação. Dando uma folheada encontrei uma matéria sobre afogamentos e me assustei com a informação de que segundo dados do Ministério da Saúde, os afogamentos são a primeira causa de morte entre crianças entre 1 a 4 anos e a segunda entre 5 e 9 anos, atrás apenas de acidentes de trânsito. Outro levantamento da Sobrasa (Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático) mostra que dos casos de afogamentos infantis, 25% ocorrem não em praias, rios ou piscinas, mas por queda em baldes e outros volumes menores de água. Nesses tempos de seca e racionamento de água onde as pessoas estão construindo de cisternas e guardando água da chuva em baldes, as crianças ficam mais expostas a esses perigos.
Essa matéria e o fato de estamos estarmos construindo uma cirterna para armazenar água da chuva em casa me fizeram refletir sobre duas coisas importantes. A primeira sobre como é importante para a segurança das crianças saberem nadar e saberem se comportar na água, toda criança deveria ter acesso a aulas de natação.
Em segundo lugar foi o que me motivou escrever esse post: refletir sobre a importância de se estar atento quando nossos enteados estão na nossa casa.
Tomar cuidados vão desde cuidar para que os mais pequenos não tenham acesso a produtos de limpeza ou tóxicos, janelas sem grade, objetos cortantes, piscina sem proteção, banheira sem supervisão ... e por ai vai.
Muitos pais e madrastas convivem com as crianças a cada 15 dias e essa falta de hábito em conviver com as crianças em casa faz com que ambos precisem ficar mais atentos com os “perigos” da casa.
Tomar atitudes de prevenção como cercar piscinas, guardar material de limpeza em local alto de difícil acesso por exemplo pode deixar sua casa mas segura e te deixar mais tranqüila quando estiver com os pequenos em casa.
Em caso de afogamento acidental o site do corpo de bombeiros (vide links relacionados) indica o seguinte procedimento para um pronto atendimento:
1. Acalmar a vítima, fazê-la repousar e aquecê-la através da substituição das roupas molhadas e fornecimento de roupas secas, casacos, cobertores e bebidas quentes
2. Manter a vítima deitada em decúbito dorsal procedendo com a lateralização da cabeça ou até da própria vítima afim de que não ocorra aspiração de líquidos.
3. Caso o afogado inconsciente seja deixado sozinho, ele deve ser colocado na posição de recuperação que mantêm o corpo apoiado em posição segura e confortável, além de impedir que a língua bloqueie a garganta e facilitar a saída de líquidos.

Telefones de urgência:
* Pronto Socorro – Ambulância » 192 * Bombeiros » 193
Projeta sempre piscinas, cisternas e caixas d’água.
Vamos ficar atentos.
Beijo e até semana que vem.
Links relacionados :
Postar um comentário